domingo, 1 de abril de 2012

"Apenas mais uma de amor."

Eu vou ser professor de história, ela vai ser designer ou psicóloga e a matemática disso tudo é desimportante. No fim do mês a gente descobre o que faz. A gente vai viajar o mundo - primeiro em sonhos e palavras, depois com as economias e os desejos de uma vida. Temos todo o tempo do mundo. E, mais importante: Sem planos, porque planos são cansativos e eu detesto regras e limites. Um dia vou perguntar: "Vamos nos perder em Paris?" e ela vai responder que me espera no carro. Vamos mudar alguma coisa - uma cidadezinha do interior, um bairro cinza de uma cidade sem graça, um vaso de plantas do hotel. Tanto faz. Deixaremos nossa marca e, por mais imperceptível que ela seja, o importante é que nós dois sorriremos toda vez que a virmos. E vamos ser sempre assim... Bobos. Sinceros. Entregues. Eu vou olhar para ela de rabo de olho e ela vai desviar o rosto com as orelhas vermelhas. E vamos discutir de quem é a sorte. Vamos pra a livraria ler as primeiras páginas de dez livros diferentes, ela por cima de meu ombro, eu lhe beijando o pescoço para tirar sua concentração. E vou sempre lembrar a ela que ela é intensa, inexplicável e é exatamente isso que eu mais amo nela. Vamos tomar café no meio da tarde porque deu vontade e escrever contos sentadas na calçada. E vou sussurrar poesia ao pé do seu ouvido para que ela durma em paz e sonhe comigo... Eu sou dela. Inteiramente dela. Eternamente dela. Já sou casado - casamos no primeiro beijo. E nem a morte vai nos divorciar ou separar.



"Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
Nós, na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia

E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia...

Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno
anti-monotonia..."

(Todo Amor Que Houver Nessa Vida - Cazuza)

1 comentários:

Sandra disse...

Passando para deixar um carinho e desejar um feliz final de Domingo.
Venho devagar para não me cansar.
Os amigos sempre estão dentro do coração..


Agradecer pela sua presença.
A amizade é um sentimento sublime, puro e verdadeiro, para possuí-la não é preciso ser rico nem pobre, ter posses ou não. A Amizade é um dom, sentimento nobre que une as pessoas, sinal de confiança integra e recíproca, sem ela não há humanidade, sem ela não há o mundo, pois tudo na vida se origina de uma amizade, mas ela exige um item muito importante, ela tem que ser verdadeira, caso contrário, não há amizade.
Carinhosamente,
Sandra