sábado, 25 de fevereiro de 2012

"Alma gêmea" define.

"Por que você fica me encarando desse jeito?", ela perguntou, desviando o olhar do meu, as orelhas já vermelhas. Eu não expliquei, mas aqui vai a verdade: Queria decorar cada detalhe das feições dela, ao ponto de poder desenhá-la com palavras e colori-la com versos sem precisar abrir os olhos. Queria conhecer o sinal perto de sua orelha direita, aquele pouco abaixo de seu olho direito, cada uma de suas sardas. Queria conhecer a curvatura de suas sobrancelhas tão bem quanto conheço a curvinha de seu queixo. Queria lembrar com perfeição da cicatriz em seu pescoço, conhecer a cor dos seus lábios tão bem quanto conheço o gosto deles. Queria saber se seus olhos são castanho-chocolate ou castanho-caramelo, onde eles se franzem quando ela sorri, como ela morde os lábios enquanto pensa. Agora entendo o quão injusto foi o desafio que me fiz - é impossível que qualquer palavra, seja em prosa ou em verso, trace tamanha beleza. É impossível encontrar metáfora que se iguale à intensidade de seu olhar e à doçura de seu sorriso, ao perfume único que impregna a esquina de seu pescoço, à maneira como meu estômago dá piruetas e minha mente se nubla quando ela me beija. É impossível mapear a firmeza que minha mão só ganha em sua cintura, o arrepio que percorre a minha espinha quando ela suspira em minha respiração, o dourado que seus olhos ganham quando ela me sorri depois do beijo. É impossível definir, descrever ou tentar explicar a minha menina, minha flor lilás. Ela é, como ela mesma um dia disse, "um quebra-cabeça de quinze mil peças" que eu fico tentando montar porque me encantei pelas cores e me apaixono cada vez mais pela figura. E todos os dias ela me prova que vale a pena o esforço - que mais ninguém seria capaz de me fazer tão feliz, tão boba, tão apaixonada. Que mais ninguém compartilharia meu sonhos de ter gêmeos, adotar uma Sofia, passar a lua-de-mel em Veneza e abrir uma livraria-floricultura na velhice.


"I can't see me loving nobody but you
For all my life
When you're with me, baby, the skies will be blue
For all my life..."

(Happy Together - The Beatles)

1 comentários:

Emilie S. disse...

Que lindo texto. Queria eu estar apaixonada dessa forma (e ser,igualmente, correspondida,claro). Você tem muito tato com as palavras. Ou será que todos viramos poetas quando estamos apaixonados.