domingo, 18 de dezembro de 2011

"Então é Natal..."


Esse ano não vou pedir nada de Natal. Não vou escrever cartas ao Papai Noel, não vou checar os nomes dos pacotes embaixo da árvore, não vou  fazer beicinho toda vez que mencionar algo que desejo para mim. Esse ano só vou agradecer. Porque esse ano teve seus baixos, seus pontos escuros, suas tempestades tropicais, sua quedas inesperadas do topo da nuvem mais alta... Mas valeu mais a pena que qualquer outro ano. Esse ano as minhas lágrimas regaram aquele solo seco e fizeram nascer a flor mais bonita: Amor. Amor puro, amor correspondido... E aprendi que isso não quer dizer amor "fácil", sem problemas, sem pedras no caminho - quer dizer "amor pelo qual vale a pena lutar, perdoar, chorar, tentar e recomeçar, quando preciso for". Esse ano as topadas não me fizeram parar e sim aprender a olhar por onde caminho, a pular as pedras mais baixas e contornar as impossivelmente altas - nada é impossível, aprendi,  não quando se quer. Esse ano meu jardim se coloriu com pessoas lindas, de todas as cores, formas, com sorrisos de todos os tipos, com imperfeições tão bonitas que descobri não poder me ver sem nenhuma delas. Esse ano eu quebrei o espelho e gritei, para quem quisesse ouvir, que sou o que sou e nem tudo o que me apontam são imperfeições - e não vou mudar a menos que eu queira. Esse ano cresci - cresci como pessoa, como mulher... Sei que estou um passo mais perto de ser a pessoa que quero ser. Talvez até dois ou três passos. Talvez um pulo - se eu tiver muita sorte, o pulo certo. Esse ano eu bati a testa em tantas paredes diferentes que não sei como não consegui uma concussão ou a perda de memória que tantas vezes desejei - mas, mais importante, eu aprendi onde estão as paredes. E aprendi que mesmo as pancadas mais fortes não te matam - te ensinam. Esse ano eu mudei - mudei tanto que cheguei ao ponto de olhar no espelho e não entende direito quem era a menina me olhando de volta. Estou aprendendo a amar essa menina, aos poucos, tanto quanto ela merece. Aprendendo a me mover no corpo dela, a rir o riso dela, a enxugar as lágrimas dela e fazer meu coração bater no mesmo ritmo que o dela. Estamos virando uma e é isso que me importa. Esse ano foi um ano lindo, não só pelos sorrisos, mas pelas tantas cicatrizes que agora tenho para exibir. Esse ano... Ah, esse ano foi luz! E eu só tenho é que agradecer pelas chances e fazer do próximo ano tão brilhante quanto esse foi.

Se tem algo que ainda me resta dizer, pedir, é só que eu tenha a oportunidade de incluir isso nos meus votos, menina: "Você é meu karma... E sabe como é, né? Karma é karma, é pro resto da vida". Que dessa vez a gente seja pro resto da vida.

2 comentários:

Jéssica Costa disse...

Atitute nobre a sua: agradecer ao invés de pedir. Gostei muito do texto e um feliz natal pra ti.

Desirée disse...

O amor verdadeiro é VERDADEIROO. isso não significa que será fácil, mas sim que por mais lágrimas que sejam derramadas e vezes que o coração vai ser partido, TUDO vai valer a pena. graças a deus, eu posso dizer que sei como é.